PRF atuou em pontos considerados críticos para setor de inteligência PRF atuou em pontos considerados críticos para setor de inteligência Foto: Polícia Rodoviária Federal

PRF e Conselho Tutelar fazem operação contra exploração infantil no Piauí

Publicado em Estado Outubro 14 2017 tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte
Avalie este item
(0 votos)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) deflagra no Piauí neste fim de semana a Operação Domiduca. Iniciada no fim da noite de sexta-feira (14) a operação realizou ações de combate à criminalidade ao longo das rodovias federais e áreas de interesse estratégico. O foco da operação é o enfrentamento à vulnerabilidade ou a exploração sexual de crianças e adolescentes.

De acordo com o inspetor Barros Filho, da PRF, a ação é voltada especialmente para pontos de vulnerabilidade relacionados à prostituição infantil. “É uma operação em curso em que durante toda a noite fizemos buscas, mas não houve nenhum flagrante”, disse o inspetor sobre a operação que segue até este domingo (15). O nome da operação é uma referência na mitologia romana, a deusa Domiduca (Adeona) protege as crianças no caminho de volta à casa dos pais.

“É uma operação nacional em que atuamos sobre pontos mapeados pelo sistema Mapear em que um colega do trecho percorre e identifica pontos de vulnerabilidade”, ressaltou Barros Filho. O inspetor explicou que o setor de inteligência estuda cada ponto de possível exploração para posterior abordagem. “Passamos para o setor investigativo, que analisa e valida o ponto ou não. A partir disso planejamos a operação que segue até o dia 15”, ressaltou.

A Operação Domiduca aconteceu em Teresina e no interior do estado. “Percorremos pontos em Teresina e no interior como Picos, Floriano, Parnaíba agentes fizeram o mesmo circuito em pontos de vulnerabilidade”, relatou o inspetor da PRF.

O Conselho Tutelar acompanhou a operação em conjunto com a PRF e a Polícia Civil. “Nós participamos nos pontos às margens das BR´s acompanhando a PRF e a Polícia Civil porque não somos força de segurança. Depois que eles faziam as vistorias a gente participava com a conscientização. Não encontramos nenhum adolescente ou criança”, afirmou o conselheiro tutelar Djan Moreira.

Para o conselheiro a abordagem foi importante pela conscientização nos locais de vistoria. “Não encontramos nenhuma criança ou adolescente, mas nos locais que a inteligência identificou como pontos críticos foram afixados cartazes e o dono do estabelecimento está consciente das proibições”, comentou.

Fonte: G1MA

Lido 286 vezes
Banner Direita 1
Banner Direita 5

Compartilhe

Subscribe RSS Feeds
Email

Instagram

Posts recentes no Twitter

Assine BaraoNet

Certifique-se de que você não perderá as últimas notícias e informações do portal BaraoNet. Registre-se em nosso e-mail newsletter gratuitamente e não perca nenhuma informação sobre o que acontece na região, no Brasil e no mundo.